O que é o Tesouro Direto?

O investimento em tesouro direto tem se popularizado nos últimos anos. Isso é fácil de entender, já que é uma forma de investir com riscos mais baixos e rentabilidade maior do que a oferecida pela poupança.

Investir no tesouro direto implica em investir em títulos públicos, isso é, em títulos emitidos pelo Governo Federal.

É como se fosse uma forma de empréstimo, em que o investidor empresta dinheiro ao governo e em troca recebe ele de volta mais os juros respectivos na data de vencimento prevista.

Tesouro direto – como funciona

É possível começar a investir no tesouro direto com valores relativamente baixos, como R$100 e como o governo é o emissor os riscos tendem a serem muito baixos, valendo a pena principalmente para quem está começando.

No entanto, é preciso ressaltar que qualquer pessoa antes de investir deve saber de maneira precisa como os títulos funcionam e quais as taxas envolvidas.

O que é o Tesouro Direto?

Riscos de investir no tesouro direto

Como mencionado anteriormente, como esse tipo de investimento se baseia em papéis da dívida pública o risco é mínimo, o entanto isso não significa que eles não existam, afinal, eles estão presentes em qualquer investimento.

Os papéis que estão ligados a taxas específicas podem apresentar mudanças significativas de acordo com as mudanças de mercado. Para conseguir evitar problemas é preciso saber como cada título funciona:

Tipos de títulos públicos no Tesouro Direto

 

Existe basicamente três modalidades de títulos públicos:

  • Indexado à taxa básica de juros (Selic),
  • Prefixado com diferentes prazos de vencimento
  • Atrelado ao IPCA (índice oficial que mede a inflação no país).
LEIA  Entenda Sobre A Diferença Entre Taxa De Franquia E Royalties      

1.    Tesouro Selic

Este é o tipo de título que possui a menor variação entre todas as opções. Por isso, é recomendado para investidores que se enquadrem em um perfil mais conservador.

É o ideal para quem está começando a entender o que é Tesouro Direto e para quem necessita de liquidez caso precise restaurar rapidamente os investimentos sem surpresas desagradáveis.

2.    Tesouro Prefixado (LTN e NTNF)

Nesse caso a principal vantagem é saber exatamente de quanto será o retorno obtido já no momento da compra dos títulos, o que é uma ótima opção para aqueles que desejam deixar o dinheiro aplicado até a data de vencimento. Nesse caso as oscilações da economia não afetam o valor recebido.

Entretanto é preciso destacar que aqueles que optam por esta categoria, caso desejem realizar o resgate do valor investido antes da validade prevista receberão o valor de mercado prevista no dia, podendo ser maior ou menor do que aquela contratada no momento da compra.

3.    Tesouro IPCA+ (NTNB)

Os títulos indexados ao IPCA garantem a chamada rentabilidade real, que nada mais é que o retorno acima da inflação. Caso o investidor mantenha os títulos até a data de vencimento prevista irá receber a variação do índice no período mais uma taxa de retorno estabelecida previamente.

Neste caso assim como no tópico anterior, se o investidor precisar se desfazer da aplicação antes do vencimento o rendimento pode acabar sendo diferente do que foi contratado e será o valor de mercado no dia, por isso é importante estar atento e escolher o investimento que mais se adeque aos objetivos.

A Vers contabilidade

Para quem deseja investir e não sabe por onde começar a Vers contabilidade pode ajudar. Entre em contato através do site, pelo telefone ou no endereço físico e saiba mais sobre investimento no tesouro direto. Nossos funcionários estão prontos para ajudar e sanar quaisquer dúvidas pertinentes!

Postado em Cliente FinalTagged , , , , , ,