Empreendedorismo digital: Coisas que todo empreendedor deve saber

Este é o segundo e último post sobre o cenário do empreendedorismo digital brasileiro. Falaremos sobre as vantagens e os desafios para quem quer empreender na internet. Para ler o primeiro post do assunto, clique aqui.

A competição no mercado brasileiro de startups é muito menos acirrada do que nos Estados Unidos. No mercado americano ou no chinês, toda vez que surge um novo setor são jogados milhões e milhões de investimento naquele segmento e dezenas de empresas lutam pelo mesmo capital. No Brasil a competição geralmente só começa depois que o mercado já está provado.

Além disso, o brasileiro adora novidade. Ele se comunica e compartilha as descobertas com seus amigos, em um marketing espontâneo essencial.

Ao mesmo tempo em que há todas essas várias oportunidades, há também desafios e grandes problemas para enfrentar. Como por exemplo a logística e burocracia, que são os terrores do empreendedor brasileiro.

A logística precisa ser pensada especificamente para a internet. Em um e-commerce, você tem que entregar a mercadoria na casa do consumidor, e esse é um desafio que muitas vezes o  empreendedor tradicional não enfrenta.

Comércio - empreendedorismo digital
Comércio – empreendedorismo digital

O Brasil também tem características financeiras peculiares, em particular o parcelamento. É característica do brasileiro parcelar e, muitas vezes, se endividar. Obviamente, há também um modo de pagamento único que é o boleto, e que também tem suas vantagens e seus desafios. Outro problema no país é a alta tributação.

A estrutura de telecomunicações do Brasil é bastante antiquada e a internet móvel, 4G ou 3G, ainda é da qualidade de 1G.

O ciclo das startups no Brasil ainda não fechou, mas está começando a fechar.  Por exemplo, os fundadores do Buscapé voltaram para o mercado após a venda da empresa e se tornaram investidores-anjo. Há cada vez mais novos investidores-anjo no Brasil, mas ainda não temos uma indústria madura com muitos fundadores que se tornaram investidores.

LEIA  Como abrir uma empresa já com um bom ticket médio?

O mercado brasileiro de startups digitais não é um mercado povoado, mas sim o que podemos chamar de mercado de risco. Há mais desafios e juros, pois não é possível fazer algo que se faz com frequência nos Estados Unidos que é: “financiar minha startup no cartão de crédito”. Os juros brasileiros não permitem que alguém financie seu novo negócio no cartão de crédito!

Nosso mercado é nascente, com um número ainda muito pequeno de investidores-anjo. O investidor no Brasil ainda é pouco experiente e muitas vezes ele vem de outros setores.

De 2008 a 2011 houve uma grande atividade de fundos estrangeiros no mercado brasileiro, porém, com o cenário econômico atual, os principais fundos internacionais estão entrando no Brasil apenas nos momentos mais tardios de desenvolvimento do negócio. Não é muito comum você ter um grande investidor americano fazendo a primeira rodada de investimentos de uma startup de internet.

Coisas que todo empreendedor deve saber

Estratégia de venda – empreendedorismo digital

Dentre as dicas valiosas para qualquer empreendedor começando sua empresa, destacamos:

  • Você vai precisar de suporte: suporte financeiro, de mentoria, relacionamentos na indústria. A indústria de internet foi construída em cima de relacionamentos e realmente, as pessoas tendem a se ajudar muito.
  • Investidores-anjo: têm destaque no Brasil, como por exemplo o Cai Shopping e o Fabrice Green, um francês que hoje tem vários investimentos no mercado brasileiro, e é também uma das pessoas mais legais para se procurar no momento de buscar aquela primeira captação para a sua startup.
  • Aceleradoras: elas podem ser um parceiro estratégico. As aceleradoras vão pegar um pequeno percentual da sua empresa, em regime societário, mas em troca vão te ajudar com mentoria, espaço, conexões e até um pequeno aporte financeiro.
  • Fundos de investimento: apenas quatro fundos lideram 80% das rodadas de investimento no Brasil, e juntos gerenciam cerca de meio bilhão de dólares.
LEIA  Como fazer uma pesquisa de mercado

Além do acesso ao capital e à mentoria é necessário participar do ecossistema. Para isso, é recomendável acompanhar blogs do mercado, meetups e eventos.

Os blogs são muito legais para quem está começando e quer se relacionar cada vez mais com outros empreendedores, e também consumir conteúdo sobre o assunto. Frequente, comente e participe desses blogs!

Os eventos reúnem empreendedores e fundadores de startups estrangeiras ou grandes empresas brasileiras, e são ótimas oportunidades para networking. Vários eventos são celeiros da comunidade de startups.

3 - Comércio - empreendedorismo digital
empreendedorismo digital

Além disso, há dois programas muito interessantes do governo, que incentivam o mind set correto do empreendedor brasileiro:

  • CIDE: programa do governo de Minas Gerais que oferece espaço e aproximadamente 80 mil reais para o empreendimento. Este programa tem feito muito pelo ecossistema mineiro de startups.
  • Startup Brasil: programa do Ministério de Ciência e Tecnologia, que em parceria com as aceleradoras oferece cerca de 200 mil reais para cada empresa sair do papel.

Ambos os programas são muito interessantes como fomentadores e criadores de uma cultura mais empreendedora no Brasil

Aprendi sobre empreendedorismo digital. E agora?

Qual o próximo passo? Depois de conhecer as vantagens e desafios, a história das startups, pessoas e empresas que podem te ajudar nesta jornada, só há uma coisa a fazer: parar de inventar mil desculpas para não sair do lugar. Aproveite esta oportunidade única que se apresenta no cenário atual, com uma competição pequena, mas crescente, para montar uma empresa e explorar as oportunidades. A hora é agora, e se você não for lá colocar a mão na massa, alguém vai fazer isso no seu lugar.

Postado em Empreendedorismo, Negócios