Fluxo de caixa: Planejando e construindo

Olá caro leitor!

No último post falamos sobre o ponto de equilíbrio financeiro de uma empresa e como manter-se firme em situações de crise.

Na nossa postagem de hoje, que é a última da série do fluxo de caixa e controle de capital, concluiremos contando sobre o processo de planejamento que dá sequencia as etapas anteriores.

Depois da tempestade

Não há coisa melhor do que dizer aos amigos que os negócios vão bem, que a situação estabilizou e agora as coisas vão andar.

É o que todo mundo quer, mas para isso acontecer, você tem que ter sua projeção e objetivos futuros definidos. Uma boa forma de montar o seu planejamento futuro é observando o passado. Além da sua experiência pessoal, faça uma retrospectiva do ano que passou, verifique os extratos no banco, analise os prazos e reutilize as estratégias que deram certo.

lighthouse-storm-wallpaper-3

Mas cuidado! Mesmo as abordagens de sucesso, podem não funcionar sob determinadas circunstâncias.

Por isso, repense o que deu errado, mude, adapte-se. Um bom empresário é aquele que aprende com os erros e os molda para transformá-los em acertos. Ele é capaz de se adaptar rapidamente às circunstâncias.

Para que isso funcione, basta pensar o seguinte: “Farei dessa forma enquanto der certo.”.

Ok, mas você precisa estar atento para quando aquilo não funcionar mais.

Criar uma zona de conforto pessoal, pode ser encarado de forma negativa, no entanto, no mundo corporativo isso pode te ajudar a crescer ou reerguer o seu negócio. Basta saber a hora certa de parar ou de caminhar.

Falando assim parece fácil, mas se você estiver disposto, provavelmente vai levar um ou dois tombos e começar a prestar mais atenção a esses detalhes. Claro que não é isso que nós queremos, mas é o que acontece na vida real.

LEIA  Abertura de uma empresa: Entenda como a contabilidade é importante

Sacudindo a poeira

Nada agrega mais ao seu futuro como empresário do que as experiências, positivas ou negativas.

Quando falamos anteriormente sobre o DRE, dissemos que era uma projeção dos resultados da empresa, passados ou futuros. De uma forma abrangente, podemos dizer que esse controle pode ser expandido de forma a aumentar a visão de uma companhia dentro do mercado.

Demos exemplos desse processo funcionando durante alguns meses, mas na realidade, pode ser feito até mesmo para controle de anos.

Por exemplo: uma pessoa acaba de comprar uma franquia e o seu contrato inicial é de 5 anos.

Estudando o mercado, e as metas estipuladas pela matriz, o empresário pode planejar todos os seus resultados dentro desse período. Tenha em mente o quanto você irá investir nesse tempo, se acha que consegue recuperar o que investiu e quanto tempo isso vai levar.

É importante ter uma noção de valores. “Se eu investir 10 mil hoje, quanto esses 10 mil valerão daqui a 1 ano? ”.

De fato, é impossível termos certeza do que essa quantia irá representar no futuro, mas isso com certeza te ajudará na hora de pesquisar os preços, de comparar a qualidade do produto e também de cobrar pelo serviço que você pretende oferecer.

Apesar dos planos, ninguém está livre de imprevistos como prejuízos ou crise financeira. Mas também tem a economia em alta e lucratividade nas nuvens.

O devido planejamento é que realmente vai ajudar a evitar os prejuízos e aproveitar os períodos de fartura.
Identificar os problemas irá aproximar as respectivas soluções.

Toda empresa tem problemas, aprender a lidar com eles o tornará não somente mais sábio, mas também um melhor administrador.

LEIA  4 vantagens da terceirização contábil

Concluindo

Concluímos com uma verdade: Analisar o fluxo de caixa é sempre bom, seja no início ou na metade do caminho. Quanto mais cedo fizer, melhor. Se ele trouxer números negativos, tenha a certeza de que o resultado final irá contribuir para o crescimento da empresa.

Muita gente prefere determinar o quanto vai investir, o quanto espera de retorno e o quanto quer crescer todos os anos. Ótimo, mas quem faz isso normalmente já tem uma boa quantia em mãos e uma boa bagagem de conhecimentos em matemática financeira.

Planejar é para quem tem disposição, é uma tarefa exaustiva, que vai te tirar da cama às 3 da manhã para anotar uma ideia que você teve para aumentar os lucros, ou para pagar as contas.

Vai te fazer encher a lixeira com várias bolas de papel de rascunho, ou passar horas em frente ao computador vendo e analisando inesgotáveis planilhas e números.

Mas também vai te fazer conhecer melhor a si mesmo, seus clientes e o mercado que você atua. Também vai te tornar mais criativo, mais eficiente, você vai conhecer mais pessoas e crescer com tudo isso.

O objetivo aqui é ajudar a todos, inclusive aqueles que não se consideram nenhum gênio dos cálculos. Pra falar a verdade, ninguém precisa ser.

Demos essas dicas, para quem se interessa pelo assunto, independentemente de quaisquer planos e desejos.

Uns vão se assustar, outros vão se sentir desafiados. É exatamente isso que determina quem será o cliente e quem será o empresário. Esperamos sinceramente que tenham se sentido desafiados. Mas se você chegou até aqui, existe uma grande chance de ser um ótimo administrador.

shutterstock_15350938

Encerramos por aqui, a nossa série sobre fluxo de caixa e administração financeira empresarial.

LEIA  Entenda a importância da contabilidade para a tomada de decisões na sua empresa

Boa sorte a todos!

As dicas da nossa série foram úteis para você? Que tal nos contar nos comentários de que forma ela te ajudou?

Obrigado por nos acompanhar e não percam as próximas publicações. Ainda tem muito mais por aí!

Postado em Contabilidade, FinanceiroTagged