Gerenciamento de tempo: faça em prol dos seus objetivos

Essa será a primeira postagem a englobar uma complicação do mundo corporativo (e de empreendedores de primeira viagem): o gerenciamento ou administração do tempo.

Como gerenciar o tempo, afinal?

Antes de aprender a administrá-lo, tente defini-lo. Quais conceitos de tempo você conhece?

Os diferentes conceitos de tempo

O primeiro é o filosófico – lembrando que a filosofia é o que faz o ser humano pensar, refletir, nortear suas decisões daquele momento em diante. Nessa linha, pode ser visto de duas maneiras:

  • Tempo que vai, sequencialmente e sem interrupções. Simplesmente passa.
  • Tempo circular, que faz o indivíduo lembrar, voltar a certo momento, recriar e mudar situações, mas sempre fiel ao que foi visto e vivido por ele. A famosa sensação de “deja-vu”, aquele pensamento de “já estive aqui antes, lembro-me disso, vivi isso”.

Outro conceito é o psicológico, relacionado ao tempo circular descrito acima. “Cronos” é o tempo e seu nome, por si só, o descreve como cronológico.

Pensem na lenda do titã Cronos, que devorava os próprios filhos para impedir que roubassem seu trono. É mais ou menos a rotina que todos conhecem: o tempo engole, pois não para de correr e não vai ser vencido.

“Kairós” se refere ao tempo das emoções, sensações, sentimentos – relaciona-se, aqui, ao tempo circular.

Mais um conceito é o físico, que também possui duas vertentes:

  • O tempo absoluto é o mesmo que o cronológico, o sequencial.
  • O tempo relativo remete-se ao momento que a pessoa está vivendo, ao que está envolvido, e a pessoa sabe que ele está passando. Corresponde às atividades diárias e é a forma como o mercado de trabalho o enxerga.

Agora, se pensar no tempo, em como o mercado de trabalho o vê e o entende, é necessário acrescentar mais dois ingredientes à receita: dinheiro e realidade.

Quem nunca ouviu a frase “Tempo é dinheiro”? É assim que o comércio define a relevância do tempo. Ambos – dinheiro e tempo – são variáveis finitas.

O controle do tempo

Quem controla seu tempo? Quem administra suas escolhas feitas durante o dia?

Imagine um rapaz que trabalha o tempo inteiro e ignora outras atividades que tem vontade de fazer: Dormir, assistir filmes ou séries, uma leitura agradável, um mergulho na piscina, ouvir música.

Imagine que esse rapaz desconheça a importância dessas ocupações na própria rotina. O que ele poderia ganhar assistindo de verdade a um bom filme?

Agora, coloque-se no lugar dele: você sente que, o tempo todo, só produz e só cria, sem parar e sem pensar no quê e no porquê está fazendo tanta coisa, sem conseguir enxergar o resultado do seu dia tão corrido.

LEIA  Por que trabalhar em uma empresa que valoriza o Endomarketing?

Por que tanta afobação? Você está deixando algo ou alguém controlar seu tempo? Sabe dizer “não”? Sente que acumulou trabalho?

Pense em uma moça. Uma mãe solteira de dois filhos, que acorda cedo, apronta as crianças para a escola e começa a fazer o almoço. Mas tudo que ela faz fica pela metade: os filhos esquecem alguma coisa, ela não faz comida e, se faz, não lava a louça.

No fim do dia, está exausta.

De que adianta, então, fazer um monte de coisas se não as organizou antes? Sem planejar o que é prioridade, o que precisa ser feito antes e o que não é tão urgente?

Todos os seus dias são única e exclusivamente destinados a trabalho? Sempre tem que ter algum resultado?

O que é, para você, ser produtivo? Você conversa com os seus filhos depois do trabalho? Brinca com eles, os ajuda na lição de casa, brinca em jogos de tabuleiro?

Ou não faz nada disso porque não lhe trará resultados depois?

Tem que fazer. É necessário, pois um coração tranquilo melhora quaisquer condições de realizar quaisquer tarefas, por mais árduas que pareçam. Treina a mente para que ela trabalhe a seu favor.

É comprovado cientificamente que a mente humana não foi criada para ser multitarefas – nem a masculina nem a feminina, um grande clichê sexista.

A mente humana foi feita para começar e terminar uma atividade. Sempre que concluir alguma atividade que começou, será recompensado eventualmente.

“Tenho tido tanto trabalho, não consigo parar.”

Isso não é administrar seu tempo, é deixar que façam isso por você. E quando isso se torna um hábito, você se torna ansioso; uma das piores características no campo pessoal e no profissional.

Quando você não consegue realizar alguma tarefa e fica procrastinando, fica empurrando para mais tarde, não fica com aquela sensação de incapacidade? De não ter feito o que devia?

A ansiedade nasce daí, e o medo é o próximo passo. Só que o medo paralisa, trava. Então, vem o sentimento de “Mais um dia sem fazer o que precisava”.

Sofia Esteves é disciplinada, organizada e atarefada que coloca seus serviços em ordem de prioridade. Para ela, a família vem sempre em primeiro lugar, e isso a motiva a se manter equilibrada e dar o melhor de si.

Sofia Esteves é uma inspiração, pois consegue lidar com seus pratos cheios sem derrubá-los da travessa. E como ela faz isso?

A importância de prioridades no gerenciamento do tempo

Através de prioridades.

Essas prioridades impedem que ela esqueça algo, deixe um ponto importante para trás pela simples sabedoria de saber onde e quando se concentrar.

LEIA  Produção vs. Produtividade

Relembre uma palavra usada um pouquinho acima: procrastinar.

Relembre também o que a procrastinação gera: ansiedade e, consequentemente, medo. Mas esse é um trem sem paradas, uma trilha sem fim. Quanto mais serviços houver, maior a chance de procrastinar. Quanto mais procrastinamos, menos queremos fazer.

E mais uma vez: o tempo não para. Ele continua, independente dos seus sucessos ou fracassos, te levando com ele ou te deixando para trás.

Também não adianta segurar o tempo para sentar e se organizar: organizar seu tempo, sua vida, se planejar – é como trocar de pneu sem parar o carro. Fazer isso é tentar segurar água com os dedos abertos: ela vai escorrer.

Para gerenciar o seu tempo, primeiro você precisa olhar dentro de si.

Por que procrastinar, afinal? Parece uma bobagem, não é? Ao invés de fazer o que precisa, empurre com a barriga, enrole, encontre outras atividades mais prazerosas.

E nesse meio tempo… o serviço fica ali. Parado, esquecido, ignorado.

Um dos motivos que leva à procrastinação é parcialmente irracional. Às vezes, o ser humano precisa fazer algo sem sentido. É uma necessidade. Qual é o significado de todas as coisas que faz? Todas, cada uma delas, tem que querer dizer alguma coisa para alguém.

Se o que tiver que ser feito for feito logo, a vida do indivíduo será simplificada.

Para que lavar a louça de um almoço de domingo se você pode ir lavando um jogo de louça à medida que elas são colocadas na pia? Minutos seriam perdidos ao invés de horas, que, então, serão muito melhor aproveitadas em, por exemplo, atividades familiares.

O simples propósito de não acumular.

322

 

 

 

 

Outra razão: também dá vontade de não fazer nada quando não se sabe como – a ausência de prática, não saber por onde começar ou para que.

 

Como parar de procrastinar: dicas práticas

Dica de ouro: evite se responsabilizar por algo que não vai saber fazer.

Mas não por falta de capacidade: porque precisa se preparar. Não saber fazer algo, não ter aquele talento, aquele conhecimento, não te diminui de forma alguma – te dá uma motivação.

Estude, conheça, adquira sabedoria e inteligência. Caso contrário, a tarefa só vai crescer, e com ela vem a ansiedade. A bola de neve de sempre.

Mais um motivo: a famosa, a conhecida zona de conforto.

Ficar dentro dela significa não se arriscar, tentar coisas novas e diferentes, ser ousado. É ignorar curiosidades e vontades de provar, de experimentar. Não. Permita.

Mais um fator: quando falta energia, tanto física quanto mental. Essa falta se associa ao seu bem-estar, o que cria a necessidade de buscar outras fontes de energia.

LEIA  Planejamento Empresarial: Veja como fazer passo a passo

Exemplificando: no campo físico, uma pessoa cansada, que dorme tarde para acordar cedo e vive dias exaustivamente cheios.

No campo psicológico, questões emocionais. Ficar chateado com alguma coisa, preocupado com seus problemas, baixa muito a energia do seu dia-a-dia.

A energia baixa tem muito a ver com hormônios, necessários para o bom funcionamento do cérebro, que, por sua vez, é primordial para a melhor execução possível dos seus trabalhos. Se não houver foco escolhas erradas serão feitas, não haverá produtividade e isso vai travar todo o seu passo-a-passo.

– Estou muito fraca, sem energia – diz uma moça.

– Vá fazer um exercício!

Não é desconexo?

Por incrível que pareça, não. Um exercício vai garantir e espalhar energia física e mental.

Outra razão para procrastinar: a necessidade de ser recompensado. Usando a pirâmide de Maslow como exemplo, a necessidade não se refere aos degraus mais baixos, como alimentação, e sim aos pontos superiores:

David McClelland, estudioso do comportamento humano e funcionário de Harvard por 40 anos, descobriu 3 necessidades da espécie: se sentir amado, desejado; realizações, prêmios, conquistas; e poder. E um deles sempre vai se sobrepor aos outros, mesmo que imperceptivelmente.

É um ponto básico para suas escolhas: a não ser que faça algo que garanta uma recompensa para você, vai ficar parado no mesmo lugar. E ficar parado é a mesma coisa que procrastinar.

  • Mover-se requer determinação.
  • Motivo + ação = motivação. E esta é totalmente relacionada a prazer.

Procure, então, nesses 3 motivos, qual mais te impulsiona para seguir em frente em direção aos seus objetivos e se você o está alcançando.

333

Responda 2 perguntas em um papel.

#1 Você tem consciência do que suas escolhas trazem consigo? Pontos positivos e negativos.

Escolhas trazem consequências positivas e negativas; na hora de enfrentar as negativas todos se fazem de vítimas, inevitavelmente. Nessa posição, ninguém toma o controle e guia a vida até onde deseja.

#2 Qual é seu grau de responsabilidade quanto às suas escolhas?

Você é a vítima ou a personagem principal da sua própria história? Colocar-se de vítima tira o seu poder de escolher, agir, e o dá para outra pessoa. E também tira seu direito de reclamar sobre o que escolheram para você.

Seja seu próprio protagonista: escolha por si, responsabilize-se pelo que decidir.

O gerenciamento é de suma importância para a sua vida e para o seu trabalho. Uma vez que entender como isso deve ser feito, abrirá espaço para otimizar todas as suas atividades.
Gostou do conteúdo? Tem alguma dúvida? Comente abaixo!

Postado em EstratégiaTagged , , , ,