Como conseguir investimento para o seu negócio – parte II

E, vamos para mais um post, dando sequência ao nosso assunto de como conseguir um investimento de sucesso. Saberemos um pouco sobre fundo de investimentos, como o investidor pode ajudar e o que ele espera do seu negócio, a implantação da governança e o planejamento.

Caso tenha perdido o primeiro post, confira o mesmo nesse link:

Como conseguir investimento para o seu negócio

Fundos de investimento

É um capital gerido por empresas, ou seja, um capital de terceiros. São as chamadas gestoras. Elas fazem o quê? Buscam recursos junto a entidades de previdência privada e até de pessoas físicas.

As empresas juntam esse fundo e passam a aplicar em capital de vários outros empreendedores. Você precisa pesquisar em qual setor esse fundo investe e se ele está enquadrado com o ramo do seu negócio.

Há os chamados fundos setoriais. Eles buscam investir em áreas específicas. Como por exemplo, fundos que só investem em empresas de tecnologia ou sustentabilidade.

Também há os fundos regionais. Só investem em empresas da região deles. Então, primeiro você deve fazer uma pesquisa para saber qual fundo procurar. Essa atitude é essencial para você ter sucesso no seu negócio.

Para quem tem uma empresa de médio porte, existem os fundos chamados de Private Equity. São fundos bem maiores que investem em grandes soma para chegar, teoricamente, até a bolsa de valores, que é o último estágio do seu negócio.

Essa é a sequência de investimentos. Outro ponto muito importante é que você não precisa, obrigatoriamente, se atrelar a um único investidor ou fonte de financiamento.

É muito comum o empreendedor captar investidores, buscar linhas de capital de giro em bancos, às vezes contratar um leasing para as suas máquinas e equipamentos. Isso é muito natural e faz parte do mix de formas de financiamentos que você deve utilizar para o desenvolvimento do seu negócio.

Não precisa se restringir a um único modelo, mas antes é importante saber para quê cada modelo serve.

4 maneiras de como o investidor pode ajudar no seu negócio

Todo investidor tem um valor agregado. Ou seja, além dele aplicar dinheiro no seu negócio ele vai dar um pouco mais que isso. E você não pode esquecer o que explicamos no post anterior, que o investidor também será seu sócio durante um tempo.

Nesse sentido, ele terá tanta vontade, quanto você, de fazer o negócio dar certo. Então, ele vai ajudar com tudo o que ele puder.

Na organização no negócio

Primeiro, a experiência na organização do negócio. O investidor provavelmente, já teve uma experiência passada ou ele já foi empreendedor, no caso dos investidores anjo, ou um executivo.

Ele tem uma visão de negócios e possui muito conhecimento. E com certeza vai ajudar você a estruturar o seu negócio, para que ele possa crescer rápido.

LEIA  Empreendedor produtivo: 5 dicas para superar a procrastinação

Com uma rede de contatos

Segundo, o investidor, normalmente, têm muitos contatos e uma rede de relacionamentos. Ele pode apresentar alguns clientes, fornecedores e parceiros.

333

Assim, é importante perguntar quem ele poderia apresentar para ajudar no crescimento do seu negócio.

Com uma perspectiva diferente

Outra maneira de ajudar é a visão fora da caixa. O quê é isso? Na sua casa tem um quadro na parede que está torto e você não percebeu isso, até porque você o vê todos os dias. Quando alguém vai à sua casa, olha e fala: “Puxa, mas esse quadro está um pouquinho torto”.

Então aparece aquela pergunta: “Por que nunca percebi aquilo?” Porque não está acostumado. Às vezes o investidor que faz a pergunta certa, é melhor do que aquele que dá um palpite.

Portanto, conte com o investidor para fazer as perguntas certas e ajudar no crescimento do seu negócio.

A imagem do seu negócio

Outro ponto importante que o investidor agrega é o chamado nome ou imagem dele. Não precisa ser um investidor famoso, nada disso, mas só o fato de você receber um investimento, já é um ingrediente para quando for apresentar o seu negócio a um cliente ou parceiro e o trazer como referência.

É difícil para quem está começando se apresentar para o mercado. Mas ter um investidor por trás, certamente, vai passar a imagem que o seu negócio é de alto potencial e vai gerar mais confiança para os seus futuros clientes e parceiros.

A implantação da governança

Governança, às vezes, é uma palavra que assusta. Pensar sobre isso é para grande empresa. A minha empresa é pequena, eu estou começando e eu não vou precisar. Pensar assim está errado. É importante que você comece desde o início tendo uma base.

Claro, ninguém quer botar burocracia que entrave o seu negócio. Mas, é necessário que você tenha controles mínimos. Para saber se o seu negócio está indo bem ou mal, para reportar informações ao seu sócio ou investidor e passar um cenário para ele.

Dessa maneira, ele poderá te ajudar mais. E isso, no futuro, vai fazer a diferença. Porque quanto mais a sua empresa crescer, mais organização, mais controles e mais gestão você vai precisar. E a governança, vai ser a semente para que isso aconteça no futuro.

Nós chamamos o investimento de Smart Money. Smart é de dinheiro inteligente, esperto. É aquele dinheiro que te agrega valor. Por isso é que vale a pena buscar um investimento para receber isso.

Procure saber o que o investidor quer

Você precisa entender o que o investidor quer. Assim você consegue se preparar para apresentar o seu negócio. Não adianta só bater na porta e dizer: “Eu tenho uma grande ideia”. O quê você preparou? O quê você estruturou? Como você está pensando em construir o seu negócio?

LEIA  Bem vindo ao novo blog da VERS Contabilidade

Os investidores esperam que o seu negócio tenha acesso a grandes mercados.  Ele busca achar oportunidades que possam crescer muito, porque quanto mais o seu negócio crescer, mas ele vai valer.

Você precisa ter a oportunidade, no mínimo, de atingir todo o mercado brasileiro, se possível, o mercado internacional. Outro ponto é a inovação. Além de o seu negócio ser diferente no mercado, ele precisa ter vantagem competitiva.

É algo que os seus concorrentes não têm, e que vão ter alguma dificuldade de obter e, a partir daí, você vai conseguir ter um grande crescimento, com a margem de retorno maior, do que qualquer outro concorrente tenha.

222

Então, pense muito nisso. Não adianta ser diferente. Tem que ter inovação. Inovação tem que gerar vantagem competitiva.

Também o negócio precisa ser escalável. Ou seja, um negócio que possa crescer, multiplicar muito, preferencialmente, sem exigir grandes somas de capital.

É claro que depende de cada negócio. Tem negócios que são mais escaláveis e menos escaláveis. Quanto mais escalável, mais interessante vai se tornar para o investidor.

Por exemplo, você tem uma franquia, como franqueador, o seu negócio é escalável, já que quem vai fazer o investimento em cada ponto de venda é o franqueado. Como franqueador você vai dar o treinamento, a orientação, a capacitação e algum aspecto de gestão da franquia, e ainda a divulgação da marca.

Como um franqueado, para cada loja que construir, você terá que gastar o mesmo capital. Então, pode ser um bom negócio, mas não para o investidor aportar o seu capital, para você ter recursos próprios para fazer.

O que mais os investidores vão esperar de você? O time. Quem executa o negócio, que realmente vai fazer com que ele tenha sucesso, é você. Então a aposta é em você.

E para isso, é importante saber se você tem a capacidade de execução. Quando nós falamos você, não significa que é só uma pessoa. Nós estamos dizendo, muitas vezes, que é o conjunto de empreendedores, os sócios, 2, 3, às vezes, até 4 sócios, que existem nessa empresa.

Não adianta todos saberem fazer muito bem uma coisa, mas só sabem fazer uma coisa. Um exemplo: Sua empresa precisa de alguém se é uma empresa de tecnologia, precisa ter alguém que tenha o domínio técnico. Mas basta o domínio técnico? Não. Você precisa de alguém que saiba vender, que saiba fazer propaganda, o marketing do negócio.

Isso é um time complementar. Então a busca é por empresas que tenham times complementares.

Muitas vezes o empreendedor tem uma ideia fantástica e é uma pessoa boa em vendas, mas precisa contratar uma empresa para desenvolver a parte técnica. Está bom. E se amanhã acontecer alguma coisa com ela? Ah, mas tem que buscar outra? Não, não pode. Você precisa ter alguém que tenha essa competência complementar a sua.

LEIA  Como desenvolver um negócio escalável – Parte 2

Pense bem nisso. Procure o sócio certo. Aquele sócio que tenha um bom relacionamento, não só pôr amizade, embora a amizade ajude. Mas também pelo o que ele tenha alinhamento de visão e pela competência que você precisa, para complementar a sua.

O investidor espera que você conheça muito bem o mercado aonde você vai atuar.

Muitas vezes o empreendedor acha que encontrou uma ótima oportunidade. Mas, o que significa essa oportunidade? O que os clientes acham daquilo? Quais eventuais concorrentes atuam naquele mercado?

O investidor não vai investir em um empreendedor que sabe menos do que ele. Ainda mais em um mercado que ele não conhece. Procure um investidor quando estiver bem preparado.

Por isso, converse com potenciais clientes, pesquise muito sobre os concorrentes, compre, experimente os produtos dele e os serviços. No momento que apresentar o seu negócio para o investidor, você pode mostrar que tem domínio e conhecimento, e propriedade do assunto. Senão, dificilmente, você vai conseguir um investimento.

A importância do planejamento para conseguir um investimento

O seu plano de negócio tem 200 páginas? Para quem está começando não é necessário um nível de detalhamento tão profundo.

Até porque tem muita coisa que você não sabe que vai acontecer. Mas também não pode se dizer: “Não, eu vou começar sem planejamento nenhum”. De forma alguma.

Você precisa saber quais são os primeiros passos que você vai dar. Que recursos você vai precisar? Humanos, recursos financeiros, equipamentos. Como é que você vai vender o seu produto? Como é que você vai conquistar clientes? Quanto isso vai custar para você? E como é que você vai converter isso em resultados para a sua empresa?

É necessário um planejamento mínimo, um planejamento orçamentário e uma pequena projeção para os resultados que você busca obter. Isso tudo com base no modelo de negócio que você construiu. O investidor espera que você apresente isso. Assim, ele pode fundamentar o capital que você está pedindo.

Um grande erro que muitos empreendedores cometem é pedir: “Ah, eu quero R$ 100.000,00”. Mas, para fazer o quê?  “É para construir um escritório, contratar algumas pessoas”. Que escritório? Que pessoas? Qual o resultado você espera obter com esse dinheiro?

É necessário ter essas respostas. E que elas estejam bem fundamentadas.

Para buscar investimento precisa ter preparação. Faça a sua lição de casa. Sem isso, você não vai ter sucesso no seu negócio.

No próximo post vamos conversar sobre retorno de investimento e seguir com mais algumas dicas. Não perca! Gostou? Então dá um like.

Postado em NegóciosTagged