7 erros comuns ao empreender (e como evitá-los)

Para muitos, empreender não é apenas um sonho, mas uma forma de efetivamente ganhar a vida. Não é sem propósito que, segundo os números da Previdência Social, houve um crescimento substancial de pessoas que se declaram microempresários individuais.

Além disso, a internet e o avanço tecnológico, em conjunto com o conceito do downsizing ― tornar as operações produtivas menores ― têm contribuído muito para tornar a realidade do empreendedorismo cada vez mais palpável.

Ocorre que empreender não é apenas ter uma boa ideia e abrir uma empresa. Para ser um empreendedor de sucesso, é preciso acertar o equilíbrio certo entre a cautela do mercado e a necessidade de correr riscos e inovar. E é nisso que muitos empreendedores iniciantes se perdem.

Por isso, separamos abaixo 7 erros comuns que podem ser graves problemas para empreender. Confira!

1. Não ter um plano de negócios

O mais grave dos erros para empreendedores é, certamente, acreditar que apenas uma boa ideia é tudo que precisam. Embora existam exceções que dão certo, a regra é que, sem um plano de negócios definido, a aventura de empreender não dará resultados muito positivos. Um plano de negócios consistente auxilia em ver, de antemão, as necessidades e obstáculos que o empreendimento poderá enfrentar.

2. Não se capacitar para o negócio

Outro grave erro de empreendedores iniciantes é subestimar a necessidade de capacitação profissional para a área de negócios e administração. Acreditar que o conhecimento básico sobre a ideia do produto ou serviço do empreendimento é o bastante pode mostrar ingenuidade ou arrogância. Para empreender, é preciso aprender ou contar com profissionais que tenham os conhecimentos administrativo, técnico, contábil e de gestão necessários.

3. Não inovar

Existem muitas tentativas de empreender acontecendo, assim como já existem muitas empresas consolidadas no mercado. Para se destacar, é preciso agregar algo novo, fazer algo de forma diferente ou, em outras palavras, inovar. Startups são, por definição, modelos de negócio de inovação, por exemplo. Por isso é preciso estar atento e procurar um diferencial.

4. Não ter uma gestão administrativa, fiscal, de estoque e recursos humanos

Outro erro comum é não dar a devida importância à gestão administrativa, fiscal, de estoque ou recursos humanos da empresa. Essas áreas são o cerne prático da estrutura que sustentará a ideia e o empreendimento, e precisam ser firmes e sólidas para que possam manter o negócio funcionando. Isso não quer dizer que devam ser, por outro lado, estáticas ou burocráticas. A gestão é uma ferramenta que procura, sempre, otimizar os trabalhos, não atrapalhar.

5. Desconhecer as etapas de produção

Um outro problema que empreendedores têm no começo é não conhecer as etapas de produção do produto ou serviço da empresa, baseando-se em uma falsa impressão dos custos envolvidos e como realmente funciona. Isso costuma desestabilizar a balança financeira, sem que o empreendedor entenda o que está acontecendo. É preciso conhecer muito bem o negócio.

6. Não se arriscar

Embora isso possa ser parecido com inovar, não é a mesma coisa. Como dito, um empreendedor de sucesso é aquele que alcança o equilíbrio perfeito ― ou o mais próximo disso ― entre o risco e o cálculo de viabilidade da ideia. Um empreendimento novo é sempre um risco, mas pode ser calculado e, principalmente, extrapolado. Arriscar-se é bom.

7. Descuidar das finanças e do patrimônio

Por fim, a maior dificuldade de empreendedores, que costumam ser pessoas criativas, é lidar justamente com o dinheiro e ganhos. O cuidado com as finanças é essencial e a organização do patrimônio é imprescindível para o funcionamento de uma empresa.

Ficou com alguma dúvida? Sabe mais algum erro na hora de empreender? Divida com a gente nos comentários!

 

LEIA  A 2ª edição da Univers – São José dos Campos/SP vem aí!
Postado em TecnologiaTagged , , , , ,