6 dicas para diminuir a inadimplência na sua empresa

De cada 10 pequenas e Médias Empresas (PMEs), uma declara ter inadimplência superior a 10%, considerando atrasos de pagamentos acima de 90 dias. Os dados, que impressionam, são frutos de uma pesquisa realizada pelo Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) em várias regiões do Brasil. A faixa etária de 21 a 40 anos concentra o maior porcentual de inadimplentes, segundo informações da Pesquisa Nacional sobre Liquidação de Cheques.  Apesar de a inadimplência no Brasil ter caído 1,1% no acumulado do primeiro semestre de 2014, quando comparado ao mesmo período do ano passado, dificilmente essa tendência se manterá ao longo do ano, já alerta o Serasa. Dentre os fatores que puxarão o índice para cima estão a alta da inflação e dos juros, bem como o encolhimento da economia e do mercado de trabalho.

Para os microempreendedores, os atrasos no pagamento podem reduzir o fluxo de caixa e até forçar o gestor a recorrer a empréstimos, que sabidamente tem taxas bem altas, o que  compromete a saúde financeira da pequena ou microempresa. Fugir dessa faixa de risco requer precaução. Acompanhe as 6 dicas que listamos para te ajudar a diminuir a inadimplência na sua empresa!

Consulte os serviços de análise de crédito

Consultar os serviços de análise de crédito para saber a quantas anda a situação financeira do cliente é ação imprescindível. A consulta, que pode ser realizada através de empresas de proteção ao crédito como Serasa Experian, SPC e outras associações comerciais, revela pendências de pagamentos, protestos e outros problemas de restrição. Com a análise, você estará apto a avaliar as condições de cada cliente que tem uma dívida com seu negócio e determinar as estratégias mais adequadas para fazer a cobrança (será preciso contar com a intermediação da justiça? A situação pode ser resolvida de maneira amigável?). Vale lembrar que as consultas devem ser frequentes, visto que a situação do cliente pode mudar a qualquer momento.

LEIA  Abertura de empresa online e gratuita

Tenha o histórico do cliente sempre em mãos

Seja por controles manuais feitos em planilhas ou softwares, tenha sempre o histórico de seus clientes em mãos para diferenciar quem sempre pagou corretamente dos maus pagadores. Às vezes, um cliente que “dá calote” não vale a pena ser mantido.

Valorize os bons pagadores

Saber separar o joio do trigo não é útil apenas para fins de controle, mas pode servir também de estímulo para pagamentos antecipados com descontos ou outras formas mais flexíveis de cobrança. Oferecer alternativas para quem realmente teve um problema e não conseguiu cumprir o pagamento na data de vencimento deve fazer parte de sua estratégia.

Implemente um sistema de cobrança eficaz

Dívidas são como bolas de neve. Podem começar pequenas, mas com o passar do tempo acabam se transformando em uma grande avalanche. Para evitar que isso aconteça, tenha um sistema de cobrança eficaz que alerte o inadimplente sobre dívida logo no primeiro dia de atraso, sempre de forma ética e amigável. Em casos extremos, o melhor a fazer é receber pelo menos parte do valor, renegociando a quantia a ser paga e evitando um prejuízo ainda maior.

Nunca venda sem nota fiscal

Sim, vender sem nota fiscal é ilegal. Mas, para além do fato da prática ser um crime, há ainda outro agravante: sem nota fiscal, o empreendedor fica sem nenhum amparo da lei para lidar judicialmente com o cliente inadimplente.

Mantenha as finanças organizadas: a gestão eficaz das contas é fundamental

Além de ser essencial para o sucesso de qualquer negócio, o bom gerenciamento financeiro, mantendo as contas a pagar e a receber com a devida organização, também faz toda a diferença para lidar da melhor maneira com uma situação de inadimplência. Em muitos casos, a desorganização do caixa e da entrada e saída de dinheiro do negócio fazem com que um cliente inadimplente fique “escondido” por algum tempo. Essa situação pode acarretar um grande problema para seu empreendimento, com a descoberta do caso só muito tempo depois, quando já houver um grande prejuízo financeiro. Investir em um sistema de gestão ou em uma consultoria especializada para a administrar as finanças são ações mais que recomendadas!

LEIA  Quer aumentar as vendas? Confira essas 5 estratégias

As dicas não zeram a inadimplência, mas diminuem bastante seus riscos. Como diz o ditado popular, prevenir é sempre melhor do que remediar. Minimizar os efeitos que os maus pagadores podem causar deve fazer parte do gerenciamento de riscos de qualquer negócio! E você, já aplica alguma estratégia para reduzir o problema na sua empresa? Compartilhe suas experiências conosco nos comentários!

Postado em Financeiro, NegóciosTagged , ,