Guia PME: como manter a sobrevivência da empresa no primeiro ano de funcionamento?

Abrir uma empresa no Brasil não é um processo simples: além da burocracia do Estado, os altos impostos e as dificuldades em conseguir financiamento para investir na nova empresa acabam não contribuindo para o crescimento delas. Além disso, o empresário de primeira viagem em muitos casos não sabe como lidar com determinadas situações, o que também pode prejudicar bastante a vida útil do negócio.

Segundo o IBGE, no Brasil, 24% das empresas fecham logo em seu primeiro ano de vida. Este número é ainda maior no segundo ano, onde a taxa sobe para 60%, conforme informações do Sebrae. Já no terceiro ano este número cai um pouco, mas contempla, ainda, quase metade das instituições que até ali chegaram, totalizando 48% delas.

Apesar das estatísticas desanimadoras, a boa notícia é que existem algumas medidas simples e altamente eficientes que podem ajudar o seu negócio a ficar de fora desses índices. Para ajudá-lo, no Guia da PME hoje, selecionamos algumas dicas sobre como manter a sobrevivência da sua empresa no primeiro ano de funcionamento. Confira!

Onde você quer ir e como pretende chegar lá?

Todo projeto começa com a definição de objetivos. Saber onde você quer que sua empresa chegue e como fazer com que isso aconteça é fundamental. Calma! Você não precisa se desesperar ou questionar sobre como saber o que fazer para ter sucesso. A questão é simples: planejamento. Errou? Corrija o mais rápido possível!

Falhas são comuns, afinal você está desvendando um determinado nicho de mercado. Contudo, você precisa se mover rápido para não ficar para trás. Por isso, baseie-se sempre no seu planejamento, institua metas, tenha clareza dos seus objetivos e, no caso de erros, conserte-os o quanto antes. Neste sentido, a elaboração de um plano de negócios é fundamental.

LEIA  E-social: o que é e quais são seus benefícios para as empresas?

Já ouviu falar em fluxo de caixa? Utilize!

Quando o assunto são as finanças empresariais, 3 coisas podem impedir a sobrevivência de sua empresa: mal planejamento, falta de capital de giro e uma gestão irregular. Estas são questões recorrentes dentre as empresas que fecharam as portas ou estão prestes a naufragar. Por isso, algumas medidas precisam ser tomadas.

Você á ouviu falar em fluxo de caixa? Certamente sim, mas você o utiliza em sua empresa? Grande parte das falhas processuais das finanças está na falta de acompanhamento e controle delas. O fluxo de caixa, uma ferramenta extremamente simples e eficiente, serve para isso. Ele controla o fluxo de entrada e saída de dinheiro em sua empresa e é um recurso muito eficiente para a tomada de decisões. Por isso, caso você ainda não dê muita importância ao registro rigoroso de todas as transações financeiras da sua PME, comece já!

Invista em atendimento

Para competir no mercado com uma empresa nova, é preciso investir em diferenciais. Por qual motivo os consumidores deveriam deixar de procurar por uma empresa tradicional, com anos de experiência no mercado, para recorrer à sua, recém-chegada?

Você pode inovar no produto ou no serviço, mas, sem dúvidas, será necessário trabalhar bastante no atendimento. As empresas mais antigas, mesmo com uma renomada trajetória, acabam por pecar bastante neste quesito. O tamanho e outras questões interferem no relacionamento com o cliente, quem em muitos casos já está até mesmo desgastado com a situação e com a empresa. Aproveite a brecha do mercado e qualifique a sua equipe para um exímio atendimento. Certamente isso o ajudará a atrair novos clientes, bem como fidelizá-los – e este é o primeiro passo para um crescimento sustentável.

LEIA  4 erros graves na gestão de estoque que você deve evitar

Não queira abraçar o mundo: procure por uma assessoria contábil

Você terá muito com o que se preocupar. Produtos ou serviços, vendas e marketing, contratação de pessoal, gestão dos processos, da operação, das finanças. Enfim, trabalho não faltará! Por isso, para os setores dos quais você não tem domínio, é interessante buscar o apoio de ajuda especializada.

Uma área que claramente é mais viável terceirizar é a contábil. Taxas, tributos, impostos e até mesmo a legalização da empresa podem causar uma grande diferença na rotina financeira (e esta é uma área fundamental para a sobrevivência de um negócio). Para saber o melhor regime tributário para a sua empresa, assessorar com a contabilidade e até mesmo a parte fiscal, além das questões relacionadas ao departamento pessoal, é sempre melhor procurar por uma contabilidade especializada e terceirizar o serviço.

Você precisará de muito esforço e dedicação. Mas, como todo empreendedor que se preze, para se ter sucesso não você não pode ver esta questão como um sacrifício, mas como um investimento. O que você faz pelo hoje da sua empresa é para ser recompensado amanhã.

Atente-se às nossas dicas, verifique as possibilidades para o seu negócio, conte sempre que possível com a ajuda de profissionais especializados e, caso ainda tenha dúvidas, deixe um comentário. Nós podemos ajudá-lo!

Postado em NegóciosTagged , , , ,