Evite esses 6 erros ao escolher seus fornecedores!

A escolha dos fornecedores é de grande importância para o bom andamento de qualquer negócio. Afinal, é inegável que a procedência e a qualidade das matérias-primas e produtos podem determinar o sucesso ou o fracasso da empresa. Mesmo diante deste fato, é comum que alguns empreendedores não usem critérios sólidos na hora de criar novas parcerias para o abastecimento dos seus estoques.

Confira a seguir os erros mais comuns na escolha dos fornecedores, saiba como evitá-los e não peque nesta etapa fundamental para negócios bem-sucedidos!

fornecedores

1. Abrir mão das referências

Um dos maiores erros cometidos na hora de escolher os fornecedores é abrir mão de buscar referências. Esta precaução, de fato, é válida antes de fechar qualquer tipo de negócio. Assim, é preciso pesquisar a reputação da empresa, conferir se há algum processo jurídico aberto contra ela e, se possível, conversar com outros clientes que utilizam os serviços e produtos do seu candidato a fornecedor.

Essas atitudes podem impedir que você caia em golpes ou que não tenha suas expectativas devidamente atendidas. Lembre-se que a diferença entre a satisfação e a decepção com o fornecedor pode estar em rápidas buscas na Internet ou em um simples telefonema. Gaste um pouco de tempo procurando referências e evite dor de cabeça no futuro!

2. Analisar somente os preços

Sim, serviços e produtos baratos são tentadores. No entanto, na hora de optar por fornecedores, o preço não deve ser a única característica a ser levada em consideração. É preciso que o cliente avalie também a qualidade do material a ser fornecido pela empresa e a eficiência do serviço oferecido.

LEIA  Conte com a VERS para abrir uma microempresa

Tenha em mente que preço e qualidade devem caminhar juntos. Afinal de contas, um produto ou matéria-prima de má qualidade reflete na aceitação e na reputação da sua marca ou negócio. Caso haja problemas com os itens que você comercializa, o cliente culpará sua empresa e não o fornecedor. Lembre-se disso!

3. Desconsiderar o valor do frete cobrado pelos fornecedores

Não adianta avaliar o preço e a qualidade do material e esquecer de observar o valor do frete. Como este gasto interfere diretamente no valor final do produto, é importante que as questões relativas a ele sejam combinadas durante a negociação. É preciso definir quem arcará com o custo, se a despesa será rateada entre as duas partes, se o valor será fixo ou variará de acordo com o pedido e assim por diante. Como diz o sábio ditado: o combinado não sai caro!

Vale destacar ainda a importância de analisar a localização da empresa contratada, uma vez que a distância física entre o seu empreendimento e a fornecedora pode influenciar no cumprimento dos prazos e na cobrança dos fretes.

4. Não avaliar a capacidade de seus fornecedores

Supondo que sua demanda cresça e que os clientes estejam contando com os seus produtos, o que você faria se seu fornecedor dissesse que não consegue atendê-lo?

Para evitar este tipo de situação, avalie muito bem a capacidade de abastecimento das empresas fornecedoras. O porte do negócio e a quantidade de filiais e unidades fabris pode dar fortes indícios do potencial de produção e armazenagem dos fornecedores. Fique de olho!

5. Não ter uma segunda opção de fornecedor

Imprevistos podem acontecer em qualquer tipo de empresa. Você e seu fornecedor estão sujeitos a esta situação, mas os negócios não podem parar! Para evitar problemas, providencie uma lista completa de fornecedores, com o nome de mais de uma empresa disponível para cada segmento.

LEIA  Como Identificar tendências de mercado?

Esta medida preventiva permite que você possa contar com uma segunda opção satisfatória caso seu “fornecedor oficial” não possa atendê-lo.  Mesmo na situação dessas alternativas stand by de abastecimento, o  ideal é seguir os mesmos critérios de busca de referências, avaliação de preços, negociação dos fretes e todos os outros cuidados. Tenha em mente que as regras valem para todas as empresas fornecedoras, independente da frequência com que você recorra a elas.

6. Não negociar os prazos com seus fornecedores

É indispensável negociar tanto os prazos de entrega quanto os prazos de pagamento. Observe se o fornecedor costuma cumprir os acordos preestabelecidos e certifique-se de que as encomendas serão entregues pontualmente e com qualidade. Atrasos nas entregas podem prejudicar toda a logística do seu negócio, gerando inclusive a insatisfação dos clientes. Fique esperto!

No que diz respeito aos prazos de pagamento, é importante considerar as condições que você oferece ao seu consumidor na hora de combiná-los. Se a maioria das suas vendas é parcelada, por exemplo, não é vantajoso que você pague pelos produtos em apenas uma vez, a menos que o fornecedor ofereça um excelente desconto à vista.

A depender do valor do pedido, negocie de modo que as suas vendas possam arcar com as parcelas assumidas. Antes de escolher um fornecedor, verifique ainda se ele costuma cobrar juros nas compras parceladas e pesquise as formas de  pagamento oferecidas. É importante constatar qual das alternativas é mais adequada ao seu negócio. Isso com certeza faz toda  a diferença!

Gostou das informações? Lembre-se principalmente de que a relação entre sua empresa e os fornecedores deve ser pautada na parceria. O bom fornecedor é aquele que se mostra disposto a prestar o melhor serviço possível, te auxiliando assim a desenvolver seu negócio. Evitando os erros acima e tomando os cuidados indicados para não correr riscos, você certamente terá sucesso na escolha das suas parcerias! Se quiser compartilhar outras dicas e sua experiência conosco, não deixe de comentar!

LEIA  Tudo que você precisa saber para abrir uma empresa LTDA com a Vers!

Nos acompanhe também pelas redes sociais: Facebook | Linkedin | Instagram | Youtube

Postado em Abertura de empresa, Administrativo, Empreendedorismo, NegóciosTagged , , , , , , , , , , , , , ,