Contabilidade gerencial como ferramenta de gestão

A contabilidade gerencial como ferramenta de gestão é um fator praticamente indispensável quando se trata de atribuir um bom andamento nos negócios. 

Não é de hoje que muitos contadores, administradores e até mesmo responsáveis pela gestão da empresa entenderam que de fato a amplitude de suas informações contábeis pode e deve ir muito além de simples realizações de cálculos dos impostos recorrentes e também por parte do atendimento relacionado às leis comerciais, previdenciárias e legais vigentes no país. 

De forma geral a contabilidade gerencial como ferramenta de gestão nada mais é do que a síntese do uso de todos os registros e demais controle de caráter contábil – com o principal foco de atribuir uma boa gestão de uma empresa, seja ela qualquer for. 

Na realidade a gestão de empresas refere-se a um processo bastante complexo e até mesmo extenso, e justamente por esse motivo precisa contar com estrutura de informação realmente qualitativa – e nesse caso, nada mais se aplica a essa condição do que a própria contabilidade (sendo ela a principal vertente de informação). 

Fora esses aspectos, o custo de manter uma contabilidade em uma empresa não se justifica quando se trata de atender o fisco. Aqui estamos falando de uma contabilidade absolutamente completa, contemplando livros  diário, inventário, razão, conciliação, entre outros. 

Diante disso, informações de caráter mais relevante eventualmente podem estar sujeitas a um grande desperdício, principalmente quando a própria contabilidade é vista como uma simples burocracia para atender os requisitos governamentais.

Contabilidade gerencial como ferramenta de gestão _00001

Contabilidade gerencial como ferramenta de gestão – quanto custa afinal manter uma contabilidade na sua empresa? Você sabe? 

De forma direta e objetiva, o custo médio para a manutenção de uma contabilidade dentro de uma corporação (sendo ela de pequeno porte) pode custar algo superior a 600 reais.  

Já numa empresa de porte mediano, esse custo pode ir para algo superior a 3 mil reais.  

Nesse caso essas empresas, de ambos os portes, precisam saber aproveitar amplamente as informações que forem geradas – isso porque de fato isso poderá ser um fator para agregar competitividade com seus demais concorrentes. 

Isso quer dizer que as possíveis tomadas de decisão baseadas em fatos reais, bem como o uso de técnicas que sejam realmente comprovadas podem ser cenários provenientes do uso assertivo da contabilidade.

O que mais se pode saber sobre a contabilidade gerencial? 

De uma coisa você pode ter certeza – a contabilidade gerencial não inventa, de forma alguma, dados. Na realidade ela lastreia-se na escrituração de caráter regular de todos os documentos, bem como das contas e também outros fatos que possam efetivamente influenciar o patrimônio de uma determinada empresa. 

Em meio aos possíveis usos de uma contabilidade, levando em consideração sua finalidade gerencial, podemos destacar os seguintes pontos: 

  • Projeções destinadas ao fluxo de caixa 
  • Profunda analise de todos os possíveis indicadores 
  • Cálculos provenientes do ponto de equilíbrio 
  • Determinações acerca dos custos padrões 
  • Forte planejamento tributário 
  • Criação de orçamento e também do controle orçamentário.

Entendendo melhor as condições envolvidas! 

Um dos primeiros passos para se obter uma contabilidade de caráter realmente gerenciável e efetiva é que ela seja, acima de tudo, amplamente atualizada, bem como conciliada e tenha sua manutenção levando sempre em consideração técnicas contábeis de excelência! 

Diante disso, podemos pressupor que, uma contabilidade que seja usada de forma gerenciável poderá considerar: 

  • Que suas contas bancárias se mantenham efetivamente “fechadas” considerando seus extratos e que as diferenças sejam demonstradas de forma assertiva – é importante que essas diferenças não atinjam pelo regime de competências.  Já os valores mais expressivos, como débitos de eventuais juros e outros encargos sobre financiamentos também precisam ser absolutamente contabilizados. 
  • Provisões acerca das férias e também do 13º salário que são feitos todos os meses, sempre levando em conta relatórios formados por uma série de informações detalhadas do RH da empresa. Nesse caso, a ausência de uma provisão mensal pode distorcer todas as demonstrações de caráter contábil – isso porque o regime de competência corre o risco de não ser amplamente atendido. 
  • Amortizações, exaustões e depreciações são contabilizadas tendo como base central o controle de patrimônio. 
  • Empresas que tenham sua dedicação focada ao mercado imobiliário podem optar por contabilizar os custos que forem provenientes das obras que ela esteja envolvida. Aqui, vale destacar que outras atividades também precisam contar com aplicações de técnicas contábeis focadas, como por exemplo, cooperativas e até mesmo instituições financeiras. 

Contabilidade gerencial como ferramenta de gestão _00000

Em suma, o reconhecimento das receitas e também dos gastos nada mais é do que um dos aspectos considerados como básicos quando o assunto se refere à contabilidade. 

É fundamental que tais aspectos sejam efetivamente reconhecidos para que haja a possibilidade de uma avaliação adequada de todas as informações financeiras da empresa. 

Esses são os pontos que ajudam a orientar a contabilidade gerencial como ferramenta de gestão – e todas são essenciais para que a empresa consiga atribuir resultados realmente qualitativos em meio a sua jornada de crescimento e consolidação no mercado! 

Fique de olho nas nossas redes sociais para mais conteúdos:

LEIA  Invista sem medo em Franquias!

Facebook

Linkedin

Postado em Sem categoria