Normas IFRS para as pequenas e médias empresas

Não se assustem com a sigla, mas este artigo comenta a relevância do IFRS para a contabilidade. Nunca ouviu falar? Sem problemas, vamos lá!

O IFRS significa na língua inglesa International Financial Reporter Standard. São normas internacionais de contabilidade que contém pronunciamentos contábeis internacionais publicados e revisados pelo International Accounting Standards Board (IASB). Em resumo, as normas do IFRS são padrões internacionais de um relatório financeiro contábil e visam facilitar a adoção e o entendimento dos  profissionais  contábeis  que atuam em micros, pequenas e médias empresas.

Tais normas e diretrizes foram criadas e adotadas já em 120 países, e o Brasil é um dos que adotou esse conjunto de normas. Elas orientam como a contabilidade deve apresentar o balanço de uma empresa. Até então, os balanços das empresas eram feitos com base em procedimentos que foram modificados por esse novo padrão de escrituração contábil.

O balanço tem uma série de finalidades dentro de uma empresa. Uma delas é mostrá-la para terceiros, ou seja, para o mercado. Críticas apontam que normas relacionadas à contabilidade só servem para fazer empresas pagarem mais impostos, porém, ao contrário do que se pensa, o balanço pode ajudar a pagar menos imposto.

Os que não optaram pelo Lucro Simples ou pelo Lucro Presumido tendem a achar que não precisam fazer balanços. Errado. Todas as empresas estão obrigadas pelo Código Civil a fazer os seus balanços. O Código Civil aponta, em diversos artigos, a necessidade de deliberação sobre o balanço patrimonial e o resultado econômico.

IFRS - contábil

 

O IFRS no Brasil

No Brasil, a adoção do IFRS ocorreu com a aprovação da Lei nº 11.638/07. Essa lei representou um ponto de virada na prática contábil das empresas e tornou-se conteúdo obrigatório nos cursos de contabilidade. A partir de 2011, ao preparar as demonstrações contábeis de pequenas e médias empresas brasileiras, os profissionais da área passaram a utilizar o padrão contábil internacional do IFRS conforme a Norma Brasileira de Contabilidade, aprovada pela Resolução CFC n.º 1.255.

LEIA  Quais os benefícios do outsourcing da folha de pagamento?

A regulamentação contribuiu para o ambiente econômico brasileiro, na medida em que disponibilizou informações contábeis de alta qualidade e consolidou-se como ferramenta importante para o desenvolvimento das pequenas e médias empresas brasileiras.

O conhecimento das normas internacionais da contabilidade, as Normas Internacionais de Relato Financeiro, não são o único conteúdo do curso de ciências contábeis, mas é certo que tais normas padronizam os procedimentos gerais das demonstrações contábeis.

Vantagens do balanço patrimonial

O principal objetivo do IFRS é dar informações sobre os resultados e mudanças na posição financeira de uma entidade que sejam úteis a um grande número de usuários, tais como investidores, fornecedores, clientes, instituições financeiras ou governamentais e agências de notação e público em suas tomadas de decisão. Em outras palavras, podemos dizer que as demonstrações financeiras do IFRS conferem confiabilidade e comparabilidade ao mercado financeiro.

Solicitar crédito é a primeira vantagem das empresas que realizam balanços periódicos. Para conceder créditos, bancos e instituições financeiras analisam as condições de risco para a operação e, por isso, solicitam amplas informações sobre a situação financeira das empresas. O balanço da empresa é o primeiro elemento solicitado, e a forma como é apresentado demonstra os riscos e as oportunidades. A escolha dos juros, maior ou menor, também depende do balanço empresarial. Na prática, o bom balanço pode indicar linhas de crédito altas ou baixas.

E onde é que entra o IFRS nessa história toda de balanço? Os bancos e instituições financeiras, nos últimos anos, passaram a considerar como mais sólidas e mais eficientes as empresas já adequadas às novas normas do IFRS. Essas normas incluem temas como estoques, demonstração dos fluxos de caixa, imposto sobre a renda, arrendamentos, receitas, custos de empréstimos e outros.

LEIA  Como criar processos eficientes [Parte 3]

Todas as empresas de capital aberto, ou seja, aquelas que vendem ações na bolsa no Brasil já estão obrigadas ao IFRS. Desde janeiro de 2011, as pequenas e médias empresas também são obrigadas a seguir as normas do IFRS.

IFRS - graficos


 

Para saber mais

A Vers Contabilidade recomenda a todos os empresários e clientes da empresa a realizar os procedimentos de adaptação às normas do IFRS. Nossa equipe reconhece que as informações contábeis são fundamentais para observar e analisar o desempenho, os riscos e as oportunidades de uma empresa. Diante disso, surge o desafio da padronização dessa linguagem, harmonizando as diversas normas contábeis por meio do International Financial Reporting Standards (IFRS).

Há, também, relevantes livros de contabilidade que abordam o assunto de forma direta e objetiva. Selecionamos alguns para recomendar.

Escrito pelo especialista brasileiro Nabil Mourad, o IFRS 8 – Segmentos Operacionais (Editora Atlas, 2009) é dividido em duas partes. A primeira parte tem foco especial no IFRS 8 com exemplos. Nela, explicam-se as normas e ressaltam-se pontos onde as empresas devem prestar mais atenção na elaboração dos relatórios. Já a segunda parte conta a história da evolução dos segmentos operacionais, faz comparações entre outros métodos de segmentação, expõe testes no FTSE 100 e traz entrevistas com profissionais brasileiros com conhecimento de IFRS.

Do mesmo autor, o título Introdução às normais internacionais de contabilidade (Editora Watson , 2012) foi elaborado na sequência das mudanças dos princípios contábeis no Brasil. O livro apresenta o IFRS como uma ferramenta prática de auxílio na aplicação dos princípios elementares.

Outra sugestão é a obra Regulamentação fiscal das normas contábeis do IFRS (Editora Atlas, 2015), que relata as etapas de adoção dos IFRS no Brasil. A primeira em 2008 e a segunda em 2010. Ao longo do livro, os autores expõem os aspectos contábeis das transações, com exemplos práticos, e os respectivos reflexos nas contas de resultado e patrimoniais, bem como o tratamento fiscal estabelecido na Lei nº 12.973/14.

LEIA  O balancete de verificação: saiba o que é e para que serve

Todas essas obras têm por objetivo transmitir conhecimento sobre as diversas dimensões do IFRS para profissionais e acadêmicos que estão iniciando e necessitam aprofundar seus conhecimentos sobre as normas internacionais de contabilidade.

IFRS - books

E aí, gostou do nosso conteúdo? Deixa um comentário abaixo e compartilha suas ideias conosco!

Postado em Contabilidade, Financeiro, Fiscal