O que é sustentabilidade empresarial? (Parte II)

Olá querido leitor, como vai?
Em nossa última conversa, fizemos uma introdução sobre a sustentabilidade empresarial e citamos o triple bottom line.

Na publicação de hoje, que é a última dessa série, daremos sequência no assunto, esclarecendo melhor, as questões levantadas na parte I.

Desafios da modernidade

A sustentabilidade empresarial na era digital
A sustentabilidade empresarial na era digital

Hoje em dia, com as redes sociais, mídias e até o sensacionalismo, torna-se mais difícil trabalhar com o público.

As pessoas estão cada vez mais exigentes, querem satisfações e cobram prazos. Essa realidade acaba forçando algumas empresas a tomarem medidas de urgência ou decisões rápidas.

Questões que antigamente passavam despercebidas, provavelmente não são mais toleradas. Por exemplo, a desigualdade salarial entre homens e mulheres, hoje em dia é motivo de manifestações e greves em indústrias de toda a parte.

Isso acontece justamente porque a comunicação se desenvolveu de maneira incalculável. Consequentemente, ficou mais fácil julgar positiva ou negativamente uma figura pública ou organização.

Se uma empresa for vítima de denúncia contra a natureza, por exemplo, terá seu nome facilmente manchado e perderá a credibilidade, mesmo que não passe de uma suposição feita por uma pessoa influente.

É o que basta para acabar com uma reputação. Por isso as empresas acabam sendo obrigadas a tomarem certos cuidados, para não cair na “boca” das redes sociais. A não ser que seja para ganhar likes e compartilhamentos.

Existe também a questão da competitividade, as empresas não querem ficar para trás, e por isso vão atrás de projetos para criar uma imagem social e de preocupação com a humanidade e a natureza.

Por melhores ou piores que sejam as intenções, é esse o ponto de criação dos projetos sobre a sustentabilidade empresarial.

Pensamento sustentável

Para que um projeto tenha sucesso, não basta apenas ter uma boa ideia, você vai precisar de pessoas para executá-lo.

Junto com as pessoas, virão suas opiniões e pensamentos, equivalentes ou divergentes.

Pronto! Está formado o seu plano de ação.

a sustentabilidade empresarial é para todos
A sustentabilidade empresarial é para todos

Para manter tudo funcionando você vai ter que manter essas pessoas engajadas. Veja bem, engajadas não quer dizer necessariamente atoladas de serviço.

Engajar é manter a chama acesa, sempre motivar sua equipe a lutar pela sua causa. Porque é disso que as pessoas gostam, ter pelo que lutar e vestir a camisa.

Se você conseguir manter o grupo focado, com certeza obterá bons resultados. Essa é uma das principais ferramentas para reter talentos em um projeto sustentável ou não.

Ao criar esse tipo de ambiente, é comprovado que o vínculo entre empresa e colaborador se torna mais forte. Além disso, seu produto se tornará muito mais competitivo no mercado.

Você irá fidelizar clientes e atrair a atenção de inúmeros candidatos para a sua empresa. Não se trata de vender um produto, e sim uma ideia. O produto é apenas uma etapa do processo.

A ideia é mais eficaz e pegajosa, trabalhar a sustentabilidade da sua empresa é isso, vender sonhos.

Parece história de contos de fadas, mas funciona de verdade, a Coca-cola, por exemplo, não vende refrigerantes, vende felicidade. Não é à toa que ela é a maior vendedora de felicidade do mundo.

LEIA  Negociação baseada em confiança - Parte I

E isso está em tudo, nas campanhas publicitárias, nas cores, embalagens, absolutamente tudo.

O Google tem um espaço para que os funcionários descansem quando se sentirem cansados ou improdutivos. Além de escorregadores por toda a parte, que levam as pessoas de um departamento a outro sorrindo.

Isso é nada menos do que um estímulo, um incentivo à criatividade, e mais, é também uma técnica de engajamento.

Essas empresas possuem os funcionários mais engajados e comprometidos do mundo, possuem os melhores resultados, porque não vendem apenas para clientes, vendem para as pessoas.

É isso que faz a reputação de uma empresa, tudo isso é o que os investidores estão buscando, esse é aquele fundamento social que falamos antes.

O “x” da questão

Como saber se a minha empresa está caminhando para um futuro sustentável?

Vamos agora citar algumas referências de consulta para ajudar você a se guiar ao longo da sua trajetória como empresário.

A primeira delas é a Norma Brasileira de Responsabilidade Social, no Brasil, ela representa o mais próximo que podemos chamar de um padrão para emprego de medidas sustentáveis. É também chamada de norma 26000, que trata dos três princípios do triple bottom line.

Ela mostra com o que a empresa deve se preocupar, e quais a principais medidas a serem implantadas.

Outra referência é o GRI (Global Reporting Initiative): são indicadores utilizados por muitas empresas nacionais e até mesmo globais. É como se fosse um conjunto de relatórios que mensuram os números socioambientais de uma empresa.

 

Instituto Ethos: É formado por uma série de empresas, principalmente de grande porte, que se baseia nas duas referências anteriores, mas apresenta ainda uma abordagem para a visão de negócio e a administração, que no mundo empresarial pode ser chamada de “governança”.

Sistema B: Existe uma ONG americana chamada de “B Lab”, o Sistema B seria sua versão brasileira.

O “B” significa “beneficial” e indica que as empresas certificadas voluntariamente atingem certos níveis de transparência, prestação de contas, sustentabilidade e performance, com o objetivo de criar valor perante a sociedade, não apenas visando o lucro para os acionistas.

A frase que melhor define o B Lab é: “Não queremos ser os melhores do mundo, queremos ser os melhores para o mundo.”.

a sustentabilidade empresarial
A sustentabilidade empresarial

Unindo o lucro ao impacto socioambiental positivo, a organização inspira as empresas a serem cada vez melhores.

Atualmente são mais de 1.500 empresas certificadas e mais de 30 mil que utilizam os critérios do Sistema B.

A proposta é de melhoria contínua e ininterrupta, para isso, as informações estão disponíveis para empresas de toda a parte.

É como um grande clube onde o mundo todo pode ser membro.

O critério de renovação é o aumento na pontuação, ou seja, existe uma espécie de ranking, para chegar aos níveis mais altos você terá que obter as pontuações mais altas.

Existe uma pontuação máxima e mínima, então todos tem a mesma oportunidade de crescer.

Dá até para fazer uma avaliação gratuita no site para ter uma noção de qual parte do caminho você está.

LEIA  Como conseguir investimento para seu negócio? - Parte III

O sistema B é uma das referências mais completas que citaremos aqui, é o mais abrangente na questão de avaliação de todos os aspectos empresariais.

Destaque global

Podemos observar que o conhecimento ficou muito mais acessível, os recursos de hoje nos permitem a busca por qualquer assunto ou tema, e aí os termos que você utilizou na busca já sugerem uma leitura e a coisa toda vai tomando proporção.

Graças a isso, o assunto sobre a sustentabilidade empresarial ganhou importância e reconhecimento, rendeu estudo, discussões e então, começaram a nascer os programas de incentivo e participação.

Você já ouviu falar em economia colaborativa?

O significado dessa expressão é o resultado dessas iniciativas, pessoas trabalhando por um mundo melhor, pessoas querendo ser melhores para o mundo.

Existe aí uma diferença: trabalhar para melhorar o mundo é trabalhar em conjunto as ideias e propostas de mudança. Trabalhar em ser melhor para o mundo é rever os próprios conceitos, refletir e tomar as próprias ações para evoluir como pessoa ou organização.

Dificuldades e antigos problemas estão se tornando oportunidades de negócios. Ajudar a resolver um problema, além de atrair os bons olhares para sua atitude, pode gerar empregos, parcerias e lucro.

E assim, a roda vai girando. Uma boa ideia, atrai outras boas ideias, ou pessoas com boas ideias.

Isso não vale só para a mentalidade, vale também para o sentimento de urgência, para o engajamento que dissemos antes.

A empresa Goóc, responsável pela fabricação de sandálias, principalmente utilizando pneu reciclado, transformou um problema em solução a partir da década de 80.

O grupo começou com mão de obra artesã e hoje possui um trabalho que alia tecnologia, qualidade, técnica, design, criação e reaproveitamento de matéria prima descartada.

Além de tudo isso, a empresa apresenta também uma missão: Tornar o Brasil a referência mundial em sandálias de pneu reciclado.

Um outro exemplo é a marca de roupas Patagonia®. A empresa vende roupas ao estilo outdoor, ou seja, para quem gosta de estar em contato com a natureza.

São jaquetas para enfrentar a neve, chapéus para dias de sol e por aí vai. Além de reciclar peças para fabricação de novas, a empresa também incentiva seus clientes a diminuírem o consumismo e portanto, o desperdício de material e acúmulo de resíduos.

Como eles fazem isso? Desenvolvendo peças tão resistentes e de boa qualidade que durem uma vida inteira. Isso mesmo, as peças duram para sempre. Se o cliente tiver algum problema com suas roupas, a empresa possui pontos de “reparo” de peças.

São pontos onde você leva as suas roupas, para que elas sejam reparadas a preços acessíveis e devolvidas em até 10 dias úteis.

De 2005 a 2013 a marca arrecadou 45 e reciclou 34 toneladas de roupas usadas, uma parte disso foi destinada a venda de peças novas e outra foi doada para instituições de caridade.

Você ainda acredita que essas duas missões são de uma única pessoa? Quem trabalha para esse tipo de empresa, acredita nisso de verdade e preza pelo cumprimento dos objetivos esperados.

O trabalho torna-se mais feliz, os colaboradores são apaixonados pelo que fazem e sabem qual o seu propósito na empresa.

LEIA  5 passos essenciais de como fazer seu negócio dar certo

Uma proposta como essa, dispensa qualquer promessa ou discurso motivacional de um presidente. As pessoas sonham em trabalhar em um lugar assim.

Mantenha o foco! Alcance a sustentabilidade empresarial.

Foco para a sustentabilidade empresarial

Depois de fazer brilhar os olhos dos nossos leitores, daremos algumas dicas para manter o seu negócio cada vez mais sustentável:

  1. Mantenha-se sempre informado: Sim, você já está fazendo isso ao ler essa matéria. Hoje dia em dia, tudo muda muito rápido e  a sustentabilidade empresarial não é diferente.

Mantenha-se atualizado do que está em alta, o que a concorrência está propondo e você poderá trabalhar nisso, entre em sites, leia, converse com quem entende do assunto.

Os grandes veículos de comunicação de hoje, já reservam colunas específicas para esse assunto, se você tem algum site de sua preferência para ler notícias, por exemplo, tente localizar nele o conteúdo de que estamos falando.

  1. Reflita sobre o seu negócio: Com certeza alguma coisa te motivou a iniciar o seu projeto. É importante refletir sobre isso e saber as razões pelas quais você faz o que faz.

É mais importante ainda trazer para fora essas razões para que você possa inspirar os outros a seu redor a seguir ou apoiar a sua causa, já que muitas vezes, ela pode não estar explícita na sua comunicação ou produção.

Acredite: seu cliente quer saber, seus colaboradores e até sua família querem saber por que você faz isso e como pretende continuar fazendo.

  1. Tenha planos de ação, a ansiedade de fazer tudo ao mesmo tempo, faz com que um empreendedor perca o foco. O segredo é saber onde se almeja chegar e como fazer para chegar lá.

Não tente fazer isso sozinho, envolva seus colaboradores, sempre existe algum que acredita na empresa, mesmo que esteja começando, essa pessoa com certeza irá ajudar e se sentirá incluída.

Ao sentir-se incluída, ela comentará com os colegas que provavelmente irão querer participar também, então você terá uma equipe de planejamento engajada e competente.

  1. Não se isole com os problemas: Existem diversos grupos e eventos, onde empresários se reúnem para trocar experiências e tirar dúvidas. Muitas vezes alguém está passando ou já passou pelo mesmo que você, e poderá lhe ajudar a resolver uma situação.

Esse tipo de encontro ainda te ajuda a manter-se atualizado e poderá render-lhe parcerias de negócio.

O processo todo é extremamente proveitoso e irá te guiar na longa estrada do empreendedorismo e a sustentabilidade empresarial.

  1. Divirta-se: A nossa última dica de hoje é para que o leitor tome consciência que ao criar um ambiente positivo e agradável, as coisas irão fluir naturalmente, e não só isso, você verá que sua própria motivação será maior quando você souber que está fazendo o bem através da sua empresa.

 

Assim, encerramos nossa conversa de hoje e a série sobre a  sustentabilidade empresarial, esperamos que todos tenham feito uma leitura prazerosa e de conteúdo!

Gostou? Deixe seu comentário para que possamos fazer cada vez melhor!

Acompanhe novidades também em nosso Linkedin.

Obrigado e nos vemos nas próximas publicações, até lá!

Postado em Negócios, Sustentabilidade