Planejamento financeiro: gerando novos recursos

Conforme o blog da Vers já falou em diversos momentos, a importância de um bom planejamento financeiro é fundamental não somente pela gestão do negócio mas também para a geração de novos recursos.

No momento de captação de recursos, é benéfico pensar primeiro nos seguintes pontos:

  • Marketing
  • Pessoa
  • Máquinas
  • Compras de produtos ou matérias-primas

Após possuir todo essse cenário desenhado, após ter pensado em todos esses pontos, é hora de colocar em números o que se espera obter de receita, o que deseja ou espera ter de gastos e o que se pretende auferir de resultados.

Depois de coletar todas essas informações comerciais, RH, máquinas, insumos, planilhar tudo isso e desenhar um fluxo de caixa para os próximos 02, 03, 05 anos ou mais – por que não?

Conseguir sintetizar todas essas informações que foram coletadas em números e já olhar ali se dará resultado, se a empresa apresenta uma perspectiva sustentável, se é um negócio que tem durabilidade.

Deve-se então inicar com algumas perguntas no planejamento financeiro:

Qual o ponto de equilíbrio? Quanto é preciso vender para conseguir pagar as despesas?

2

Nem que no começo a despesa seja realmente pequena, mas qual é o volume de trabalho queé necessário, qual o volume de vendas que é preciso fazer para pelo menos pagar tais contas?

Ou pagar essas contas e ainda sobrar um dinheiro no bolso?

“Puxa vida! Mas isso parece tão óbvio”.

É mesmo, porém, a minoria dos empresários já sentou para fazer um bom plano de negócios.

LEIA  Categoria MEI 2018

“Mas eu já estou com a minha empresa aberta há dois anos ou há 05 anos!”

Não importa!

Qualquer momento que pensar no negócio: expandir, criar uma nova linha de produto ou serviço, abrir uma segunda empresa, ou  um segundo negócio ou mais um segmento no mesmo, é sempre hora de parar e desenhar um bom plano que lhe guie nesse novo desafio.

O foco é gerir uma empresa com poucos recursos

Poucos recursos financeiros, poucos recursos de tecnologia, poucos recursos de mão de obra, enfim, pode-se ter poucos recursos de várias frentes, várias áreas.

De qualquer maneira vale a pena iniciar com a análise de quando tem-se poucos recursos financeiros e que normalmente isso pode acontecer não só com uma pequena empresa que está começando e às vezes não tem recursos nem para capital de giro pagar as despesas fixas: aluguel, água, luz, telefone, salários.

Há empresas que já estão rodando e que podem ter problemas também com recursos financeiros.

Então, não é somente uma questão de tamanho.

Pode ser uma empresa grande, já ter faturamento de milhões, por exemplo… pode estar no mercado há muitos anos e, por alguns fatores, começar a ter problema de falta ou escassez de dinheiro, falta de caixa.

Uma empresa, qualquer que seja seu tamanho, qualquer que seja seu resultado, pode passar por sérias dificuldades de caixa.

Qualquer empresa pode sofrer um desencaixe financeiro ou descasamento de fluxo de caixa.

Existe a possibilidade de ter que pagar um boleto antes mesmo de ter vendido, mas muito antes de ter recebido por aquela venda.

LEIA  Centro de custos: o que é e como aplicar na sua empresa

E portanto, o ciclo financeiro ou desencaixe financeiro, pode ocorrer.

Trata-se de um ponto muito importante, independentemente do tamanho da empresa.

Pode ser uma empresa pequena, micro ou grande, gigante, tanto faz o tamanho quando ela sofre de prazos descasados: um prazo de estoque acrescido  do prazo de recebimento não podem ser maior do que o prazo de pagamento dos boletos – fornecedores – se não ocorreá um sério problema.

Como gerir uma empresa assim?

Se está faltando dinheiro, onde buscar?

Reservas pessoais? Buscar capital de giro no banco? Utiizar o cheque especial? Rolar a dívida no cartão de crédito?

A verdade é que pode-se buscar de várias fontes – e cuidado, porque são fontes muitas vezes caras e vão acabar tirando todo o resultado do teu negócio.

Com a presença de recursos escassos, como comprar a próxima mercadoria se ainda nem houve o recebimento do cliente?

A primeira questão é organizar os prazos!

É necessário realmente olhar qual o prazo do estoque e trabalhar melhor isso. Novamente, essa é a importância do planejamento financeiro.

Qual é o prazo que recebe dos clientes e trabalhar melhor isso.

E como trabalhar melhor isso?

3

Trabalhar melhor significa buscar fornecedores que garantam que vão te entregar em um prazo mais ajustado, que garantam que ele, fornecedor, fez um estoque de segurança e que eu possa fazer compras mais frequentes em quantidades menores, que lhe garantam um prazo para pagar os boletos.

Com está ação já estará matando dois dos problemas.

Se ele garante entregas mais rápidas, mais frequentes e não precisa ter tanto produto no estoque, lhe permite comprar assim que realizar a venda, eliminando assim a necessidade de estoque e, portanto, de espaço físico.

LEIA  Como criar processos eficientes [Parte 3]

Segundo, se o fornecedor é capaz de lhe garantir prazos melhores – e na atual conjuntura econômica do país, já está sim ocorrendo uma briga por quem dá o melhor prazo, quem dá o melhor preço -, então, está na hora de buscar por isso.

Gostou do conteúdo? Comente abaixo!

Postado em Financeiro