Como saber se minha empresa está no regime tributário correto?

Uma das grandes dificuldades que empreendedores têm hoje em dia está relacionada ao regime de tributação ao qual sua empresa vai se sujeitar. Há benefícios específicos, características próprias e particularidades de cada um desses regimes, e sua empresa precisa conhecer melhor qual deles será mais vantajoso para seus negócios. Pensando nesse dilema, preparamos algumas observações para que você saiba se está no regime tributário correto. Veja:

Tenha em mãos o histórico contábil da empresa

Esse é o primeiro passo para a adequação a um regime tributário. Analisar as contribuições dos anos anteriores, bem como a escrituração contábil do ano corrente é importante para situar o status atual da empresa e, a partir daí, fazer eventuais adequações a outros regimes.

Entenda melhor os regimes de tributação no país

Isso pode ser feito por meio da ajuda de um contador, de um empregado do setor contábil, mas também por meio de sites oficiais, como o site da Receita Federal. Entender melhor os regimes nacionais de tributação faz com que o exercício do cargo de direção de sua empresa seja feito de forma mais consciente e informada, pois considera os aspectos legais aos quais ela se sujeita.

Conheça os diferentes tipos de lucro que sua empresa pode auferir

Uma das principais formas de tributação de pessoas jurídicas ocorre por meio de taxações ao lucro anual dela. Mas o que vem a ser o lucro? Ele pode ser calculado como lucro real (lucro contábil) e lucro presumido.

LEIA  Normas IFRS para as pequenas e médias empresas

Lucro real é aquele cujo recolhimento de Imposto de Renda sobre a Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) já tenha sido realizado. Uma de suas vantagens é a dedução de prejuízos ocorridos anteriores, com base na escrituração contábil de períodos dos meses antecedentes. Esse regime é recomendável para empresas cujo lucro seja inferior a 32% de sua receita bruta mensal.

Lucro presumido é aquele que considera uma determinada margem de lucro para a empresa em determinado período de tempo. Esse regime de tributação é vantajoso quando se considera uma margem de lucro superior à presumida. O atual limite de receita bruta para optar por esse regime de tributação é de, no máximo, R$ 78 milhões anuais.

E o Simples Nacional?

O regime de tributação do Simples Nacional pode ser uma boa opção para diversas empresas, muito vantajosa em relação a valor e à forma do recolhimento. Suas alíquotas são baixas (variam de acordo com o setor), bem como há unicidade nos recolhimentos de diversos tributos, o que torna a atividade mais fácil. O atual limite de receita bruta para optar pelo Simples Nacional é de R$ 3,6 milhões anuais.

Escolha a opção que mais se encaixa com a situação de sua empresa

Após estudados cada um desses aspectos de tributação, é necessário verificar em qual situação se adéqua o atual cenário de sua empresa. A partir daí, é possível decidir qual o regime de tributação deve ser adotado, eventuais retificações em relação a recolhimentos feitos anteriormente, etc.

Essas são as principais informações que você precisa saber sobre os regimes tributários de empresas. Se tiver dúvidas ou sugestões, deixe aqui seu comentário! Participe!

LEIA  Gerenciamento de notas fiscais: confira nossas dicas

 

Postado em FiscalTagged ,